Prefeitura de Xanxerê 222627
28/03/2024 às 15:27
Visualizações: 87318

Promotoria conclui que ex-vice-prefeito foi morto por cobrar dívida de empresário que atuou em Xanxerê

Justiça Xanxerê
Por: Flavio Carvalho
Restaurante Gostinho Caseiro 216141

Quase quatro anos depois do crime, um empresário badalado e dois supostos comparsas viram réus pelo assassinato de Adélcio Haubert de 65 anos, ex-vice-prefeito de Santa Maria do Herval/RS.

O juiz de Dois Irmãos, Miguel Carpi Nejar, aceitou a denúncia contra os três na tarde da terça-feira (19). Eles devem ir a júri. O crime, conforme o Ministério Público, teve motivação financeira.

Receba as informações do Ronda em seu Whatsapp… Fique sabendo de tudo primeiro clicando aqui!!

Haubert era dono do frigorífico Boa Vista, que já foi o maior empregador e fonte de receita de Santa Maria do Herval. Empresário popular e respeitado, aceitou o convite para concorrer a vice-prefeito e ocupou o cargo de 1993 a 1996.

Em maio de 2018, decidiu vender o frigorífico para o empresário catarinense Cristiano de Bem Cardoso de 44 anos. A tradicional firma estava em recuperação judicial.

O comprador, que ostentava negócios com artistas de renome nacional e prometia reerguer o frigorífico com pesados investimentos, e fez uma proposta irrecusável. Ofereceu R$ 10 milhões, parcelados, com o compromisso de sanar todas as dívidas e financiamentos.

Calote

A expectativa do expressivo investimento combinou com as aparências. Cardoso passava a imagem de empreendedor bem-sucedido. Ele chegou de helicóptero à empresa, de forma triunfal, impactando positivamente funcionários e a população.

Mas não pagava o antigo dono, nem honrava as dívidas. A produção começou a cair ainda mais. O negócio promissor começava a se revelar um calote milionário. Haubert passou a cobrar a dívida com frequência, pessoalmente, no frigorífico. Incomodado com as cobranças, conforme o Ministério Público, Cardoso mandou matar o credor.

De acordo com a denúncia do promotor de Justiça Bruno Amorim Carpes, encaminhada no último dia 18 ao fórum, o empresário delegou o assassinato ao funcionário de confiança Silvio Soares das Chagas de 48 anos, que recrutou Jôni André Haubert de 34 anos, e outro homem, não identificado, para a execução. Jôni era primo de segundo grau da vítima.

Haubert e esposa foram atingidos

O plano foi colocado em prática às 19h52 de 21 de outubro de 2020, uma quarta-feira. Haubert e a esposa Flávia, na época com 64 anos, assistiam televisão na sala de casa, na Rua Beno Zimmer, bairro Boa Vista do Herval. Os tiros passaram pelos vidros.

Um acertou a cabeça de Haubert, que morreu cinco dias depois no Hospital Unimed, em Novo Hamburgo. A esposa, ferida por fragmentos da bala que atingiu o marido, precisou reconstruir o rosto. Eles estavam sozinhos. Os dois filhos e três netos moram em outras cidades da região.

O promotor descreve a ação dos pistoleiros. “Jôni, juntamente com outra pessoa cuja identidade é desconhecida, ficou de tocaia em frente à residência das vítimas, aguardando o momento em que estivessem sentadas no sofá, distraídas, sem qualquer possibilidade de defesa, ocasião em que efetuaram os disparos.”

Conforme apontado pela perícia, a dupla usou uma carabina calibre 38 e um revólver calibre 32. As armas não foram encontradas. “Os crimes foram cometidos mediante emboscada, já que os atiradores ficaram escondidos em frente à residência, que é toda envidraçada, aguardando o momento em que o casal sentou-se na sala para assistir televisão, passando, então, a disparar as armas de fogo”, acusa Carpes.

Os três réus devem ir a júri pelo homicídio de Haubert e pela tentativa de homicídio de Flávia.

O principal cartão de visitas do catarinense era se apresentar como sócio do cantor Sorocaba

Cardoso ostentava empreendimentos com o artista na Grande Florianópolis. Há fotos e declarações dos dois em projetos da construção civil e na criação de cavalos, publicados nas redes sociais e na imprensa, em 2015. Em uma postagem, Cardoso e Sorocaba exibem o projeto de condomínio residencial em Governador Celso Ramos, no litoral catarinense.

Já o sertanejo nega investimentos com Cardoso. “Sorocaba nunca foi sócio! Apenas prestou serviço para ele há mais de cinco anos e não tem nem contato mais”, afirmou, a assessoria de imprensa do artista.

Nos últimos anos, o suposto mandante comprou várias empresas, de diferentes ramos, em recuperação judicial. A maioria das empresas adquiridas está em Santa Catarina, mas há também no Paraná e em São Paulo. Cardoso é de Criciúma e tem endereço de moradia em área nobre de Florianópolis.

Entre as empresas compradas por Cardoso está o antigo frigorífico Unibon de Xanxerê, que durante a passagem de Cardoso pela capital do milho, passou a se chamar Satiare Alimentos.

 

Colaboração: Silvio Milani
abc+

Restaurante Gostinho Caseiro 216141

Portal Ronda News

Antigo Ronda Policial

CNPJ: 26.383.651/0001-00
Rua Victor Konder, 1005
Centro Comercial Chaplin - Xanxere/SC
CEP: 89820-000

Dados de contato

(49) 9 8852-5789 - Direção
(49) 9 9154-7405 - Xanxerê
(49) 9 9934-5537 - Bom Jesus
rondapolicial@rondapolicial.net.br